Fé.



Não podemos ver,
não podemos palpar
nem tampouco controlar;
mas podemos sentir
e vivemos certos do seu existir.
Ondas são formadas na imensidão do mar,
plantas ganham movimento,
sons ecoam pelas janelas,
aviões ganham força para decolar,
aves conseguem voar
e no céu  planar.
É isso.
Ele sabe a hora certa de chegar
e a medida exata para problemas não acarretar.
Mas quando revolto,
desastres pode causar.
Ao mesmo tempo em que ele dispersa o pólen
para a vida renascer,                                      
tornados pode originar
podendo várias vidas devastar.
Apesar de sua invisibilidade e intangibilidade,
fatos nos provam a sua existência,
é daí que vemos
o quanto somos pequenos,
impotentes e
ao mesmo tempo dependentes.
Fé. Ela nos move.
Sem ela não temos esperança
nem tampouco confiança,
nos tornamos fracos e amargos.
Tenhamos, pois,  
para crer no incrível,
ver o invisível
e realizar o impossível.

Rebeca Thomé Costa

É amor.



Esse sentimento me tira de tempo, faz as palavras me fugirem da mente. Nunca senti algo parecido. É tão grande que não dá pra mensurar. Tão verdadeiro que nem Freud conseguiria explicar. Tão mágico que não dá pra evidenciar. Tão forte que me enfraquece. Tão intenso que me enlouquece. Tão precioso que me enriquece. Faz de mim alguém completa e, principalmente, feliz. Sorrio a toa, cantarolo sozinha. Sinto-me viva e segura. E, a cada novo dia algo me comprova a existência e veracidade desse sentimento que me domina, que me renova, que me mantêm. O tempo passa e ele prevalece, não esmorece. Antes havia dúvida, mas hoje digo, com exatidão e destemida, que é amor.

Rebeca Thomé Costa

Aprendendo com a natureza.

É, realmente, não tem explicação. É como uma semente que, por acaso, cai numa terra árida e brota. Ali cresce, amadurece, e mesmo em meio à dificuldades prevalece. Incrível como a natureza nos revela tão claramente como devemos ser e simplesmente ignoramos. Os pássaros, por instinto, se arremessam de elevadas alturas e aprendem a voar, as vezes levam tombos, mas logo se aprumam e seguem voando cada vez mais alto, destemidamente. E porque será que nós, seres humanos racionais, vivemos encarcerados em nossa própria existência? Somos livres, porém muitas vezes deixamos de seguir nosso instinto animal e acabamos deixando de plantar novas sementes e/ou voar mais alto por medo de fracassar ou sermos julgados pelos que nos rodeiam. Somos egoístas conosco mesmos. Na natureza não existe essa preocupação, o leão mata um animal mais frágil e indefeso para se alimentar e sobreviver e nem por isso ele é mal visto, muito pelo contrário, é reconhecido pela sua força e coragem, e todos entendem que faz parte da sua natureza, a chamada cadeia alimentar. Sigamos, pois, nossos instintos fazendo aquilo que consideramos melhor pra nós, talvez assim nos tornemos mais naturais, menos artificiais, mais nós! Dificuldades? elas existem independente da escolha que fazemos, são um elemento essencial à nossa existência. O que não devemos fazer é burlar nossos anseios, privando muitas vezes a tendência de ser feliz. Livre-se de frustrações, viva e diga que valeu a pena!

Rebeca Thomé Costa

Pegadas na areia .

De olhos fechados e coração pulsante, deleitei em meus pensamentos e ao mesmo tempo em que eles eram processados, eu sentia a brisa golpeando meus cabelos, a luz do sol penetrando minha pele e o som das ondas do mar adentrando em meus ouvidos. A paz e a calmaria pairaram sobre mim e fizeram-me revigorar a força que até então estava desfalecida. Foi então que abri, vagarosamente, os olhos e fui em direção ao mar, à medida que ia me aproximando percebia que, para trás, ia deixando pegadas na areia. Sem olhar mais para trás, decidi mergulhar profundamente até ficar totalmente submersa. Ao sair dalí vi que as marcas deixadas por mim já não existiam mais. Nada mais foi preciso. Segui com um sorriso no rosto, confiante do caminho que deveria seguir, sem mais receio do que deixei pra trás.

Rebeca Thomé Costa

Aproveite suas 24 horas.




Ei, abre os olhos, levanta, lava esse rosto e corre, corre pois hoje você só tem 24 horas pra fazer tudo que você sempre quis mas nunca teve coragem. Aproveite cada oportunidade e desfrute de cada momento como se fosse o ultimo de sua vida, afinal você não sabe quando poderá ter outra chance igual. Mas cuidado, use o bom senso e aja cautelosamente. Existem coisas pelas quais não vale a pena se arriscar. A vida é uma dádiva e podemo-nos considerar sortudos por ela nos ter sido concedida, e se chegamos até aqui é porque temos capacidade de ir muito mais além. Transborde amor, partilhe alegria e liberte-se. Liberte-se dos medos, das mágoas e das frustrações. Olhe pra frente, trace uma meta e siga em frente. Faça acontecer, e se não conseguir, mantenha a calma. Ainda não acabou. Amanhã nascerá um novo dia, com outras 24h e novos ensejos. 


Rebeca Thomé Costa

Colhendo frutos



Quando a gente faz algo não apenas para benefício próprio, para satisfazer-se ou para exibir-se, tudo dá meticulosamente certo, até mesmo o que parecia ser impossível. Quando a gente gosta do que faz, não é preciso nenhum esforço e por mais que seja trabalhoso, difícil ou “maçante”, tudo acontece de forma espontânea e imperceptível, sem sacrifícios. O melhor é quando, no final, recebemos elogios e agradecimentos pelo que fizemos e muitas vezes pensamos nem ter sido notados ou reconhecidos. Fazer algo grande dar certo requer muito esforço, dedicação, entusiasmo e, principalmente, afeição pelo que faz. É assim que espalhamos nossas sementes e colhemos nossos frutos.


Rebeca Thomé Costa

______

Minha foto
"A palavra que é escrita talvez seja a que mais fala; traduz o que o peito grita sempre que a boca se cala."
Ocorreu um erro neste gadget